segunda-feira, 28 de maio de 2012

Lina Gadelha no Atemporal





POEMA

Meu verso é hora
E não sinto medo
Não chove pedras
Por amor de ti.
(Talvez de nuvens
Talvez de plumas
Meu brando abraço
Te faria em sonho).
Meu seio é terra
Onde a vida pulsa
Na lei constante
Que me vem de ti.
(Talvez em lírios
Talvez em peixes
Minha mão trêmula
Te daria a forma).
Meu verso é hora
E não sei chorar
O sol se esconde
Por amor de ti.


Poema by Lina Gadelha
Foto by Mari Martins



 

Nenhum comentário: