quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Zinco Oral x Diarreia Infantil



Eu estava lendo um ensaio clínico e achei que seria interessante divulgar essa informação. O zinco oral pode ser usado no tratamento de diarreia aguda ou persistente em crianças. A diarreia causa aproximadamente dois milhões de mortes infantis anualmente. A suplementação com zinco poderia ajudar a reduzir a duração e a gravidade da diarreia e é recomendada pela Organização Mundial de Saúde e pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef).

No século 20 criou-se e aplicou-se de forma efetiva a terapia de reidratação oral nas crianças com doença diarreica. Foi considerada a modalidade terapêutica que de forma isolada salvou o maior número de vidas naquele século. Assim, solidificaram-se os dois pilares do tratamento da diarreia aguda e diarreia persistente (aquela que se inicia em episódio de diarreia aguda presumívelmente infecciosa e se estende por mais de 14 dias, em menores de cinco anos, e ocasionando repercuções negativas no estado nutricional): Terapia de reidratação oral; Prevenção e combate da desnutrição por meio de alimentação adequada.

A partir de então, criou-se espaço para que os princípios terapêuticos da diarreia aguda fossem ampliados, procurando-se objetivos adicionais, especiamente a redução e da duração da doença diarreica e a redução das perdas fecais anormais. Neste contexto, as pesquisas clínicas focalizaram o papel terapêutico do zinco, probióticos, redutores da secreção intestinal como a racecadotrila e subsalicilato de bismuto e a vitamina A, entre outros. Essas medidas terapêuticas, coadjuvantes aos cuidados com a nutrição e da reidratação oral, foram recentemente analisadas em detalhes nos Guidelines da Sociedade Europeia de Gastroenterologia, Hepatologia e Nutrição em Pediatria e no Guia de Prática Clínica Ibero-latinoamericano.

A revisão sistemática e metanálise de Lazzerini e Ronfani demonstrou que a administração de zinco associou-se com redução na média de duração da diarreia aguda e persistente, em 12,3 e 15,8 horas, respectivamente, em crianças com idade entre seis meses e cinco anos. Considerando que os ensaios clínicos foram realizados em países não desenvolvidos, os autores concluem que, em áreas nas quais a diarreia é causa importante de mortalidade no lactente e na criança, as evidências científicas apontam que a terapia com zinco é eficaz. A Organização Mundial da Saúde considera, ainda, que o zinco reduz o risco futuro de novo surto de diarreia nos dois a três meses subsequentes. A adição de tal medida no cenário da saúde pública do Brasil requer uma análise de custo-efetividade, considerando a necessidade de preparação e distribuição dos produtos com zinco, a exemplo do que foi feito no passado com os sais de reidratação oral.

by Mari Martins
Imagem by Google
Fonte: Revista Diagnóstico e Tratamento/2011;16(3):144-5


Nenhum comentário: