terça-feira, 22 de novembro de 2011

Desestímulo na profissão




Todo profissional merece ser bem remunerado, principalmente os altamente qualificados, mas isso não vem ocorrendo no Brasil.

Vocês devem estar assintindo esse quadro novo do programa Fantástico, da Rede Globo de Televisão, onde mostram o dia-a-dia dos professores, os problemas nas escolas com relação à infraestrutura, a longa jornada de trabalho e a baixa remuneração, os problemas comportamentais dos alunos, etc.
Com relação aos médicos não é muito diferente, a baixa remuneração oferecida e a precarização dos contratos de trabalho têm assustado os médicos, em geral, que muitas vezes recusam a possibilidade de atuar junto ao SUS.
Um levantamento informal feito pelas entidades médicas mostra, por exemplo, que a média do salário-base pago ao profissional com contrato de 20 horas semanais fica em R$1.946,91. Os valores oscilam entre R$723,81 e R$4.143,67.
De forma geral, ficam aquém do piso para a categoria estabelecido pela Federação Nacional dos Médicos (Fenam), que é de R$9.188,22. Na comparação direta, o salário-base mais baixo da relação obtida junto aos estados é 13 vezes menor que o mínimo defendido pela Federação.






Só com muito amor pela profissão!

Sem bons educadores e bons médicos "atualizados e bem remunerados", onde é que vamos parar? É o caos na área da saúde e na área da educação do nosso país.

by Mari Martins
Imagens by Google


Nenhum comentário: