segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Corte...



Vou escrever ferindo,
Sangrando, partindo, cortando amarras,
Incendiando normas, paradigmas
Perdoando, onde castiga.

Vou escrever sorrindo,
Mesmo que me perca
Em manhãs frias e vãs.

Vou quebrando as louças, todas...
Vou abrindo as janelas,
Lembrando as sequelas,
Juntando onde esfacela.

Vou escrever culpando,
Cobrando, riscando tua consciência,
Versos de fogo, sem nenhuma clemência,
As crianças todas já não sonham mais,
Caminham mortas, por penitência,
E o céu lá fora, a todo o momento
Lembra a nós todas as nossas culpas,
Há muito perdemos a inocência.

Poesia by Tonho França
Foto by Mari Martins


Nenhum comentário: