quarta-feira, 30 de novembro de 2011

DST's - Verrugas e Câncer




Nos Estados Unidos, a verruga anal constitui a doença sexualmente transmissível (DST) causada por vírus, mais frequente na prática clínica e, embora possa acometer homens e mulheres heterossexuais, é mais ocorrente em homossexuais masculinos. A incidência é mais elevada nos pacientes HIV-positivos. A manifestação das lesões, porém, não está exclusivamente associada ao sexo anal, uma vez que o vírus pode atingir a região perianal a partir da vagina, nas mulheres, e a partir da base do escroto, nos homens. O contato sexual é o principal modo de transmissão, quando a infecção pelo HPV pode ocorrer através de regiões da pele ou mucosas laceradas, ou de microtraumas decorrentes do ato sexual. Entre as outras vias de transmissão, muito mais raras, estão o contato com objetos ou substâncias (fômites), e a possibilidade de transmissão vertical, de mãe para filho, durante o parto. Esta é a razão de alguns bebês que mal completaram um ano de vida, já apresentarem verrugas no corpo e na genitália. É importante ressaltar que, em crianças que apresentam condilomas genitais, o pediatra precisa sempre considerar a infecção da mãe ou a possibilidade de abuso sexual.
Os tipos virais relacionados com as verrugas na região anal são os sorotipos 6 e 11, que têm incidência semelhante entre homens e mulheres. Em indivíduos por qualquer motivo imunossuprimidos a incidência do condiloma é maior. O HPV 16 é o tipo mais frequente no carcinoma espinocelular (CEC) anal, presente em até 87% dos casos. O carcinoma espinocelular anal é raro, mas, segundo as estimativas, sua incidência vem aumentando nas últimas décadas. O aumento do número de casos é duas vezes maior em homens (160%) que em mulheres (78%). A incidência é ainda mais elevada entre os indivíduos HIV-positivos, independentemente do sexo, e entre os homens que fazem sexo com outros homens. Nesse grupo, estima-se que a incidência de CEC do canal anal seja de 37/100.000, semelhante à incidência do câncer do colo do útero antes da instituição dos programas de prevenção. Hoje, a incidência desse tipo de câncer está estimada em 8/100.000.

Não me canso de repetir. Proteja-se!
  • Seja rigoroso(a) com a higiene íntima;
  • Alimente-se bem e durma bem para manter o sistema imunológico estável;
  • Faça exames regularmente;
  • Use preservativos nas relações sexuais.
by Mari Martins
Imagem by Google
Fonte de pesquisa: HPV News - nº 3 - 2011


Nenhum comentário: