sábado, 19 de novembro de 2011

Depressão pós-parto - Parte I


 
Você sabe exatamente o que é a depressão pós-parto? Quantas mulheres são acometidas por esse mal, como é feito o diagnóstico do problema e o tratamento?

Existem três formas de depressão puerperal. A primeira é a tristeza ou "blues" puerperal, depressão leve e passageira que acomete cerca de 50% a 80% das puérperas. Começa entre o 3º e o 4º dia pós-parto e termina espontaneamente em até 10 dias. O tratamento pode ser realizado com apoio psicoterapêutico e sem necessidade de medicação. A segunda é a depressão puerperal, que acomete 10% a 15% das puérperas e inicia de maneira discreta, podendo aumentar progressivamente a partir da 2ª ou 3ª semana pós-parto. Como pode durar algumas semanas ou meses, exige tratamento com psicoterapia e farmacoterapia. Em casos mais graves, é indicada a eletroconvulsoterapia. Por último temos a psicose puerperal, depressão psicótica com graves perturbações mentais. Ela acomete aproximadamente 0,1% a 0,2% das puérperas e seu início acontece em forma de surto psicótico na 2ª ou 3ª semana pós-parto. Depois dessa fase pode evoluir para uma depressão grave, nesse caso o tratamento exige psicoterapia, farmacoterapia, eletroconvulsoterapia e internação psiquiátrica. Em casos mais graves de depressão puerperal pode haver tentativa de suicídio, porém não é comum a tentativa de infanticídio. Ao contrário da psicose puerperal em que o risco de suicídio e de infanticídio são altos.

by Mari Martins
Imagem by Google
Fonte: Revista Sogesp Set/Out de 2011


Nenhum comentário: