quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Anencefalia e Aborto


Hoje eu quero falar sobre um assunto um tanto polêmico. A questão do aborto em casos de anencefalia.

O aborto em casos de fetos anencefálicos é considerado legal em 90% dos países desenvolvidos e 20% dos países em desenvolvimento. Nos países nos quais o aborto é permitido, obviamente a situação não necessita de discussão. Já naqueles em que o aborto é proibido, leis especiais foram feitas para a situação, como se espera que aconteça no Brasil.
A autorização judicial do aborto em casos de anencefalia vem sendo discutida há quatro anos e, até o momento, não possui ordem final. A qualquer momento, porém, o Supremo Tribunal Federal (STF) avaliará a interrupção deste tipo de gravidez, conforme ação apresentada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores da Saúde. A Confederação alega que 100% dos casos de anencefalia são letais, e rejeita, inclusive, a terminologia "aborto", adotando a expressão "antecipação terapeutica do parto".

Fica aqui uma discussão:
  • As igrejas, em particular a Católica, são contra à medida. Defendem a sacralidade da vida desde a concepção e levantam questões ligas à Fé e à moral religiosa;
  • As mulheres se vêem obrigadas a levar adiante uma gestação que, além de inviável, aumenta potencialmente as chances de agravos à sua própria saúde, além de sentirem-se deprimidas e psicologicamente torturadas;
  • Os médicos afirmam que o diagnóstico de anencefalia pode ser feito com 100% de precisão e de maneira precoce, com até 12 semanas de gestação. Eles defendem a causa afirmando que a gestação aumenta os riscos de morbidade, tais como polidrâmnio, patologia obstétrica mais frequente observada, ocorrendo de 30% a 50% dos casos. Há ainda a questão da hipertensão arterial na gravidez, causando parto prematuro e também há a questão de que a maior parte dos fetos anencefálicos morre dentro do útero da mãe. Dos que chegam a nascer, a sobrevida é vegetativa e cessa, na maioria dos casos, nas primeiras 24 horas.
E você, o que pensa sobre isso? Qual a sua opinião?

by Mari Martins
Imagem by Google
Fonte: FEBRASGO

Nenhum comentário: