terça-feira, 3 de abril de 2012

Vinícius de Morais no Atemporal




O Rio

Uma gota de chuva
A mais, e o ventre grávido
Estremeceu, da terra.
Através de antigos
Sedimentos, rochas
Ignoradas, ouro
Carvão, ferro e mármore
Um fio cristalino
Distante milênios
Partiu fragilmente
Sequioso de espaço
Em busca de luz.

Um rio nasceu.


Poema by Vinícius de Moraes
Foto by Mari Martins

Nenhum comentário: