quinta-feira, 19 de abril de 2012

Retorno de Mim



Aprendi a me deixar podar pela vida.
Deixar que me arranquem os galhos, tal braços, sem dó,
ou com dó, tanto faz...
mas que me arranquem inevitavelmente
e façam de mim o que eu nem sei.
E se eu não souber tudo bem, porque aprendi também a voltar...
mais alta e mais graúda,
do tamanho de um coqueiro na praia deserta.
Também aprendi a me balançar na praia e até a tocar as ondas.
Tudo me deixa forte. Tudo um dia me deixará forte.
E nada me deixará, nunca mais, seca... agora eu posso amar.


Poema by Leila Krüger
Foto by Mari Martins

Nenhum comentário: