terça-feira, 6 de março de 2012

Pessoa, para os íntimos



DOBRE
Peguei no meu coração
E pu-lo na minha mão
Olhei-o como quem olha
Grãos de areia ou uma folha.
Olhei-o pávido e absorto
Como quem sabe estar morto;
Com a alma só comovida
Do sonho e pouco da vida.

Poema by Fernando Pessoa
Foto by Mari Martins



Nenhum comentário: