quinta-feira, 14 de junho de 2012

Ultrassonografias na gestação



ULTRASSONOGRAFIAS NA GESTAÇÃO

A ultrassonografia é um exame complementar realizado no pré-natal. É, sem dúvida, o exame que a gestante mais gosta de fazer. E deve ser feito todo mês? Não precisa ser feito mensalmente. Existem vários tipos de ultrassons que podem ser realizados. Se não temos como calcular a idade gestacional e não sabemos se a gravidez é múltipla, podemos fazer o ultrassom transvaginal. Neste também conseguimos visualizar se há realmente um feto sendo gerado (ra partir de 5-6 semanas) ou se a gestação é anembrionada (sem embrião) e se existem batimentos cardíacos no feto (a partir de 7 semanas). Nos casos de ameaça de aborto, também realizamos o ultrassom transvaginal. Ainda no primeiro trimestre pode ser feito um ultrassom morfológico fetal de primeiro trimestre que irá mostrar a idade gestacional, o número de fetos que estão sendo gerados, a localização da placenta, etc. Nesse exame são importantes algumas medidas que irão nos dizer se esse feto tem maior ou menor possibilidade de apresentar malformações congênitas. Esses parâmetros são, principalmente, o ducto venoso, a translucência nucal e o osso nasal. Ainda é muito difícil que se consiga saber o sexo do bebê por esse exame. O melhor é realizá-lo entre 13 e 14 semanas. A partir daí serão feitas ultrassonografias obstétricas de rotina para acompanhar o crescimento fetal, a quantidade de líquido amniótico, a maturação da placenta e o peso do feto. No segundo trimestre, mais precisamente entre 20 e 24 semanas, poderá ser feito mais um ultrassom morfológico, detalhes do feto serão observados como as cavidades cardíacas, os membros, alguns órgãos abdominais e também já é possível visualizar a genitália do feto. Seguem-se as ultrassonografias obstétricas de rotina que, no terceiro trimestre, também são observadas a apresentação fetal (se está sentado ou já com a cabeça para baixo), além dos parâmetros já mencionados (grau de maturação da placenta, líquido amniótico, peso fetal, etc). Existem casos em que serão necessários outros ultrassons como o doppler com mapeamento de fluxo em cores. Neste exame serão analizados os vasos sangíneos que nutrem o feto. É indicado, mais frequentemente, para gestantes hipertensas ou que desenvolvem hipertensão arterial no decorrer da gestação. Se notamos que o fluxo sanguíneo para o feto está diminuído a ponto de ocorrer lesões cerebrais para esse feto, indicamos interrupção precoce da gestação. O ultrassom com perfil biofísico fetal também serve para que avaliemos a vitalidade fetal de uma gestação prolongada ou de alto risco. Nesse caso o exame é acompanhado de uma cardiotocografia e recebe uma pontuação que vai até 10 onde o maior número indica melhor saúde fetal. O ultrassom 4D colorido é um exame bonito, onde se pode visualizar o rosto fetal com maior nitidez, mas não é, clinicamente, importante. O ultrassom é, sem dúvida, uma valiosa ferramenta do pré-natal! Mas é só uma ferramenta, não podemos basear toda a saúde fetal num exame e também não podemos afastar todas as malformações se os exames vierem normais. O pré-natal deve ser realizado normalmente, sempre.


Coluna Saúde da Mulher - assinada pela Dra. Elaine K. Vasconcelos - Ginecologista, Obstetra e Mastologista - CRM: 101324.
Imagem by Mari Martins




Nenhum comentário: