terça-feira, 5 de junho de 2012

AIDS: tratamento como prevenção é a grande esperança



A revista Science elegeu como a maior descoberta científica de 2011 um estudo que pode vir a demonstrar nova função para os medicamentos usados no tratamento da Aids: eles são também eficazes na prevenção da infecção pelo HIV e podem contribuir para barrar a propagação da epidemia em níveis jamais imaginados.

No estudo internacional, chamado HPTN 052, realizado no Brasil e em mais oito países, pessoas em tratamento adequado com antirretrovirais reduziram em 96% a chance de transmitir o HIV para os seus parceiros. A pesquisa envolveu 1.763 casais heterossexuais em que um dos parceiros era soropositivo. Eliminar a Aids, dizem as avaliações mais otimistas, tornou-se cientificamente possível, em meio às frustradas tentativas de desenvolvimento de uma vacina preventiva e da busca da cura da doença.

Os medicamentos já são usados com sucesso na prevenção, na chamada profilaxia pós-exposição (PEP), preconizada para evitar a transmissão vertical do HIV (da mãe para o bebê), em casos de acidentes profissionais com materiais contaminados, em casos de estupro, de relações sexuais desprotegidas e em programas de reprodução assistida para casais sorodiscordantes (quando um dos parceiros é HIV positivo). Pesquisas recentes apontam para a eficácia, ainda relativa, da profilaxia pré-exposição (PREP), o uso de medicamentos antes da possível exposição ao risco de infecção pelo HIV.

 
by Mari Martins
Imagem by Google
Fonte: Revista Ser Médico nº 59



Nenhum comentário: