quarta-feira, 20 de junho de 2012

Osteoporose. Saiba o que é e como prevenir


OSTEOPOROSE

Osteoporose é uma patologia óssea onde os ossos tornam-se menos densos, ou seja, mais fracos. Ocorre, principalmente, em pacientes idosos e as mulheres são mais acometidas que os homens. No climatério, por volta de 50 anos de idade, começamos a incluir nos exames ginecológicos de rotina, a densitometria óssea. Isso porque a diminuição do hormônio feminino estrogênio, que ocorre na menopausa, favorece a perda de massa óssea. A densitometria vai nos dar a densidade de, principalmente, quatro ossos: do fêmur, do triângulo de Wards, do trocânter maior e da coluna lombar. O exame vai nos mostrar: normalidade, osteopenia ou osteoporose e, nesse casso, se a osteoporose é leve, moderada ou grave. Normalmente o intervalo para a realização da densitometria óssea é bianual. Nosso organismo precisa do cálcio e este precisa de um fixador, ou seja, alguém que o tire do sangue e o leve para o osso. A fixação do cálcio no osso também não pode ocorrer em demasia, pois favorece o aparecimento outras doenças ósseas. A vitamina D3, onde a principal fonte é o sol, também faz parte do processo e ajuda na absorção do cálcio pelo organismo. A diminuição da densidade óssea com o decorrer da vida, é um processo natural. O maior problema da osteoporose é a fratura e, portanto, devemos retardar ao máximo essa diminuição da massa óssea. No climatério ocorre uma diminuição dos hormônios que são produzidos, principalmente, pelos ovários. Se não for realizada a terapia hormonal, existe uma chance maior da paciente desenvolver osteoporose. Sendo assim, a terapia hormonal no período certo e por tempo mínimo de 5 anos, previne a osteoporose. A dieta também tem grande importância. São recomendadas 4 porções diárias de alimentos ricos em cálcio para a prevenção da osteoporose. São eles: leite e derivados e folhas verde escuras. A vitamina D3 é encontrada no sol e é recomendado tomar sol diariamente antes das 10h e após às 16h. Exercícios físicos são extremamente importante porque fortalecem a musculatura prevenindo as fraturas. Para pacientes impossibilitadas de seguir todas as medidas preventivas naturalmente, existem as medicações. O cálcio geralmente é oferecido junto com a vitamina D. Se a ingesta de cálcio for suficiente ou a paciente tiver contra-indicações para uso do cálcio (como litíase biliar ou renal), podemos abrir mão dos "fixadores" do cálcio. Os fixadores mais conhecidos e utilizados no nosso país são o alendronato e o risedronato, que podem ser tomados semanalmente. Temos também a teriparatida injetável, que imita o hormônio paratireóideo humano e tem agentes formadores de ossos. Existe ainda o raloxifeno, que tem importante participação no tratamento da osteoporose, pois imita o hormônio estrogênio, sem danificar o endométrio e sem atuação nas mamas. Existem outros medicamentos que fazerm parte da prevenção e do tratamento da osteoporose, mas as medidas preventivas como os hábitos de vida saudáveis e as visitas regulares ao ginecologista, são de grande valia para a preservação de uma estrutura óssea hígida.


Coluna Saúde da Mulher - assinada pela Dra. Elaine K. Vasconcelos - Ginecologista, Obstetra e Mastologista - CRM: 101324.
Imagem by Mari Martins



Nenhum comentário: