quarta-feira, 25 de julho de 2012

Depressão Puerperal ou Depressão Pós-parto



DEPRESSÃO PUERPERAL

A depressão puerperal pode atingir até 20% das pacientes nos primeiros 6 meses após o parto. O humor depressivo e a perda de interesse nas atividades deve estar presente por, no mínimo, duas semanas. Outros sintomas são: alterações do sono, sentimentos de culpa ou desânimo, perda de concentração e até pensamentos suicidas. Os principais fatores de risco são: depressão durante a gestação, depressão prévia, situações estressantes durante a gestação, dificuldades financeiras, violência doméstica e baixa idade materna. O mecanismo envolvido na depressão puerperal ainda não está muito bem esclarecido, mas acredita-se que pode estar envolvido com alterações hormonais, como a flutuação dos hormônios estrogênio e progesterona. O tratamento mais responsivo soma psicoterapia e medicamentos anti-depressivos. A terapia individual e a de grupo têm se mostrado igualmente eficazes, mas estudos mostram uma maior resposta se associadas às medicações. Os anti-depressivos estudados e usados têm sido os inibidores da recaptação da serotonina e os tricíclicos. A paroxetina e a fluoxetina demonstraram redução dos sintomas da depressão. A sertralina e a nortriptilina também foram testadas, mostraram remissão dos sintomas, sem efeitos adversos nos recém-nascidos. Quanto ao citalopram, estudos mostram que este é mais eficaz se associado à psicoterapia do que sozinho. Os efeitos colaterais desses medicamentos anti-depressivos sobre os recém-nascidos são: irritabilidade, sedação, desmame e baixo ganho de peso. Quanto à terapia hormonal com estrogênio, existem controvérsias devido ao efeitos colaterais como a hiperplasia endometrial e os fenômenos tromboembólicos, além da diminuição da lactação. Exercícios físicos como a caminhada mostraram-se benéficos no tratamento da depressão puerperal. Das medeicações, considerando as mulheres que estão amamentando, a sertralina foi considerada de primeira escolha devido ao menor número de efeitos adversos relatados, assim como a paroxetina e a nortriptilina. A psicoterapia é uma opção também viável e segura, assim como os exercícios físicos.


Coluna Saúde da Mulher - assinada pela Dra. Elaine K. Vasconcelos - Ginecologista, Obstetra e Mastologista - CRM: 101324.
Imagem by Mari Martins



3 comentários:

Anônimo disse...

Nice blog here! Also your site loads up very fast!

What web host are you using? Can I get your affiliate link
to your host? I wish my web site loaded up as fast as yours lol

My website - Dr Dre Beats

Anônimo disse...

Greetings! Very useful advice in this particular post!
It's the little changes that produce the greatest changes.

Many thanks for sharing!

my web blog ... Google

Anônimo disse...

It is really a nice and helpful piece of info. I'm glad that you shared this helpful info with us. Please keep us informed like this. Thanks for sharing.
http://educationpoints.eu