quarta-feira, 11 de julho de 2012

Nódulos Mamários




NÓDULOS MAMÁRIOS


As mamas, frequentemente, apresentam nódulos. A maioria deles é benigno. Os nódulos benignos podem ser sólidos ou císticos (quando têm água dentro). Podem ser palpáveis ou não, nesse caso são considerados lesões mamárias não palpáveis. Ocorrem, normalmente, por alterações hormonais e podem causar dor ou não. Alguns deles atingem grandes dimensões podendo ocupar todo o volume da mama. A maioria dos nódulos benignos são fibroadenomas, diagnosticados após punção ou biópsia. Também podem ficar do mesmo tamanho durante a vida toda, sem causar dores. O diagnóstico do nódulo mamário é feito pelo exame físico das mamas (palpação) e pelos exames complementares: ultrassom, mamografia e ressonância nuclear magnética. A certeza da malignidade é dada pelo anátomo patológico (biópsia). Nos exames físico e complementar podemos suspeitar se o nódulo palpável é maligno ou benigo. O maligno geralmente é pouco móvel, espiculado, tem limites mal definidos, bordas irregulares, consistência endurecida. Já o benigno é mais móvel, bem delimitado, com limites regulares e consistência fibroelástica (de borracha). As lesões não palpáveis também podem ser suspeitas para malignidade aos exames complementares. Na mamografia podemos observar as densidades assimétricas e as microcalcificações. No ultrassom não é possível a visualização das microcalcificações. A punção ou a biópsia de fragmento são indicadas nas lesões não palpáveis suspeitas e em todas as lesões palpáveis. O tratamento dos nódulos sólidos é cirúrgico. Nos benignos, geralmente, é feita a anestesia local e a exérese do nódulo. Nos malignos vai depender de diversos fatores de estadiamento. Estadiamento é uma classificação dos nódulos quanto ao tamanho, às metástases em linfonodos e as metástases à distância. Após a cirurgia dos nódulos malignos pode ser necessária a complementação do tratamento com radioterapia e ou quimioterapia, dependendo do resultado da cirurgia (estadiamento cirúrgico). A maioria dos nódulos em mulheres com menos de 40 anos é palpável e, muitas vezes, descobertos pela própria paciente no auto exame. Após os 40 anos, a segurança maior em diagnóstico precoce de nódulos perigosos, vem através de exames regulares de mamografia. 


Coluna Saúde da Mulher - assinada pela Dra. Elaine K. Vasconcelos - Ginecologista, Obstetra e Mastologista - CRM: 101324.
Imagem by Mari Martins





Um comentário:

Suely disse...

Esse materia me ajudou a entender melhor sobre o assunto.