quarta-feira, 4 de julho de 2012

Alimentação na Gestação



ALIMENTAÇÃO NA GESTAÇÃO

A gestante tem um gasto maior de energia do que a mulher que não está grávida. O bebê retira da mãe os nutrientes dos quais precisa através da placenta. Se o nutriente falta no organismo da grávida porque o bebê sugou demais, esta sente-se fraca, com tonturas, sintomas provenientes da hipoglicemia. Sendo assim, a gestante tem um jeito especial de se alimentar afim de suprir suas próprias necessidades e também as do feto. A alimentação deve ser sempre fracionada, a cada duas horas e em pequenas quantidades. A grávida deve engordar de 9 a 12kg durante os 9 meses, isso quer dizer que um bom ganho de peso fica entre 1 e 1,5kg. Quando o ganho é superior a 12 kg a grávida tem maior probabilidade de desenvolver complicações na gestação como hipertensão arterial e diabetes gestacional, além dos sintomas de dores em regiões lombar e membros inferiores serem mais intensas. Se a gestante tem que se alimentar de 2 em 2h e não pode engordar mais do que 1,5Kg ao mês, os alimentos devem ser cuidadosamente escolhidos. No primeiro trimestre o sintoma principal é a náusea, algumas vezes acompanhada de vômitos e epigastralgia (queimação no estômago), nesta fase o alimento deve ser seco, não gorduroso, nem muito doce. Preferimos indicar as frutas, biscoitos integrais sem manteiga, torradas. Se for da preferência da pessoa o yogurte desnatado também é boa opção, junto aos grelhados e aos sucos de frutas. O cálcio do leite e dos derivados é importante, juntamente com as vitaminas e os minerais, mas nos períodos de muitos enjôos, às vezes, o leite não é bem tolerado. No entanto, o cálcio também é encontrado em folhas verde escuras, como brócolis, espinafre, couve manteiga, rúcula, mostarda, agrião. As carnes magras são boas fontes de proteína e zinco. Os feijões, a beterraba, o fígado de boi são ricos em ferro, previnem a anemia que é muito frequente na gestação e são melhores absorvidos com a ajuda da vitamina C que é encontrada em laranjas, acerolas, limões. As restrições de sódio não são indicadas, nem mesmo nas doenças hipertensivas específicas da gestasção porque o metabolismo da gestante é diferente, retém água e precisa do sódio para o equilíbrio. As farinhas brancas têm um alto índice glicêmico, são rapidamente absorvidos, aumentam a glicemia e não dão sensação de saciedade, além de serem muito calóricos. Dessa forma, os alimentos integrais são mais indicados como o arroz, o macarrão e o pão integrais principalmente. A grávida tem gostos muito peculiares para alimentos de forma que cada uma deve individualizar sua refeição, lembrando sempre da hidratação adequada e dos alimentos mais valiosos no que diz respeito aos nutrientes.

 
Coluna Saúde da Mulher - assinada pela Dra. Elaine K. Vasconcelos - Ginecologista, Obstetra e Mastologista - CRM: 101324.
Imagem by Mari Martins


Nenhum comentário: