terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Glória e desalentos...




Diplomas, velhos álbuns ressequidos,
medalhas de vitórias conquistadas,
repousam, todos eles, esquecidos,
no fundo de gavetas desgastadas.

A certo tempo, foram merecidos...
Hoje, relembram honras já passadas;
prazeres tão fugazes, tempos idos,
do vate, com histórias já cansadas.

Que lhe adiantam os louros de vitórias,
ao longo da existência, triunfantes,
na apoteose de horas bem distantes...

Contam-se as lutas e se contam glórias,
evocativas de passadas eras,
tantos lauréis, no fosso das quimeras!

Poema by Walter Argento
Imagem by Google



Nenhum comentário: