quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Geraldo Carneiro no Atemporal




À Flor da Língua


Uma palavra não é uma flor
uma flor é seu perfume e seu emblema
o signi convertido em coisa-imã
imanência em flor: inflorescência
uma flor é uma flor é uma flor
(de onde talvez decorra
o prestígio poético das flores
com seus latins latifoliados
na boca do botânico amador)
a palavra não: é só floriléfio
ficção pura, crime contra a natura
por exemplo, a palavra amor.


Poema by Geraldo Carneiro
Foto by Mari Martins - Praça do Pôr-do-Sol - São Paulo



Nenhum comentário: