sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Os sexos frágeis



De acordo com um estudo feito pela Psicóloga canadense Susan Pinker, as mulheres que moram em países ricos dizem NÃO a ofertas de promoção no trabalho. Elas ocupam cargos inferiores e ganham menos por que querem.

A partir do microcosmo dos pacientes, a psicóloga chegou a conclusão de que a biologia de cada sexo define as escolhas profissionais. A exposição à testosterona faz com que os homens sejam menos sociáveis, mais ousados e mais dispostos a correr riscos, daí buscarem trabalhos mais ambiciosos nos quais se sintam desafiados. Já as mulheres crescem sob influência da ocitocina, hormônio responsável pelas contrações do parto e pela amamentação. Com isso, tendem a dar mais atenção ao próximo. Ajudar alguém ou simplesmente interagir com outras pessoas, ativa o mecanismo de recompensa do cérebro e faz com que elas sintam um prazer enorme em ser solidárias. Essas características entrariam em conflito com a postura agressiva, combativa e autocentrada exigida por um mercado de trabalho essencialmente masculino.

Esse estudo deu origem ao livro O Paradoxo Sexual - Hormônios, Genes e Carreira, onde a psicóloga explica, porque se as meninas se saem melhor que os meninos, em média, nos estudos, são os meninos que viram executivos, chefes, superempreendedores e gênios da ciência? A pergunta era: Onde estão as meninas brilhantes da escola no mercado de trabalho, considerando-se que os meninos tem 4 vezes mais chances de desenvolver problemas relacionados a aprendizagem do que as meninas?
A questão é que as mulheres pensam mais na família, querem dedicar seu tempo aos filhos e preferem ganhar menos, ocupar cargos inferiores, mas que lhe ofereçam a possibilidade de se dedicar mais aos que ela ama, empregos que tenham horários flexiveis e acabam até, abrindo seu próprio negócio, virando consultora ou até mesmo donas de casa.

De acordo com os estudos citados por Susan Pinker, a combinação do DNA com os hormônios determina muitos comportamentos típicos de cada sexo, que podem ser ou não ressaltados pela cultura e educação.

Homens
  • Meninos tendem a olhar mais para objetos, máquinas e engenhocas.
  • São mais hábeis em calcular distâncias.
  • São mais agressivos desde pequenos.
  • Têm mais chances de ter problemas como Dislexia, Transtorno de Déficit de Atenção e Autismo.
  • Tendem a abandonar mais os estudos.
Mulheres
  • Meninas fixam mais nos rostos das pessoas.
  • Deslocam-se a partir de pontos de referência (igreja, praça, casa amarela).
  • São mais empáticas, solidárias e cooperativas.
  • Tendem a sofrer mais com depressão e ansiedade.
  • Tendem a abandonar mais as carreiras.
by Mari Martins
Fonte: O Paradoxo Sexual - Hormônios, Gênes e Carreira
Imagem by Google


Nenhum comentário: