sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Vocação?



Tenho assistido o horário político gratuito na televisão, para analisar melhor os candidatos e vejo que a coisa está surreal.
Será que para ser político a pessoa tem que ter vocação? Quais são os critérios dos partidos para escolha desses candidatos? Qualquer um pode se candidatar?
Todo mundo solta o verbo na época da eleição dizendo que temos que analisar bem em quem vamos votar, que essa é a única oportunidade que temos para mudar o nosso país e esses partidos aceitam qualquer tipo de candidatura?
Deveriam fazer uma análise curricular e muitos testes, como para quem procura e concorre a uma vaga no mercado de trabalho, tenho certeza que pelo menos 50% dos candidatos seriam reprovados. É uma festa esse negócio de ser eleito e receber para não fazer nada.
Não é nada pessoal, só acho que pessoas como Tiririca, Ronaldo Esper, Frank Aguiar, Netinho de Paula, num sei quem da farmácia, Padre fulano de tal, Pastor fulano de tal, Maguila, Moacyr Franco, sem falar nos muitos que ainda insistem em se candidatar porque não têm vergonha na cara, já lesaram e muito o patrimônio público e continuam querendo mais. Muitos outros deveriam continuar em suas respectivas carreiras e se não fazem mais sucesso nelas, que procurem um novo caminho, uma universidade, uma nova profissão, que abram um negócio próprio, mas se engajar na política? Qual o fundamento disso? Um padre não precisa entrar para política para ajudar a sua comunidade, muito menos um pastor, para mim, política e religião não se misturam.
Olha, eu não sei! Eu sinceramente não sinto vontade de votar e creio que muita gente sinta isso e só vote por obrigação, acho que as coisas devem mudar. Eu queria ver se ninguém fosse votar! O que aconteceria? Mudariam o cardápio?
Não quero exército nas ruas, não quero ditadura, não quero estado de sítio, só quero candidatos melhores e mais qualificados para eu votar.
Volto a dizer: - Não é nada pessoal!

by Mari Martins


Nenhum comentário: