quarta-feira, 30 de junho de 2010

Ir contra uma maré



Lutei toda a minha vida contra a tendência ao devaneio, sempre sem jamais deixar que ele me levasse até as últimas águas. Mas o esforço de nadar contra a doce corrente tira parte de minha força vital. E, se lutando contra o devaneio, ganho no domínio da ação, perco interiormente uma coisa muito suave de ser e que nada substitui. Mas um dia ainda hei de ir, sem me importar para onde o ir me levará.

Texto by Clarice Lispector
Foto by Mari Martins - Yucatán

Um comentário:

vivoquinha disse...

Como sempre me encontrei no texto...sou bastante dispersiva, o que não quer dizer que viva em devaneio, apesar de dar umas passeadinhas por essas bandas também. Obrigada por dividir textos tão maravilhosos com a gente..beijão!!!