quarta-feira, 23 de junho de 2010

Anonimato

 

Tantos querem a projeção. Sem saber como esta limita a vida. Minha pequena projeção fere o meu pudor. Inclusive o que eu queria dizer já não posso mais. O anonimato é suave como um sonho. Eu estou precisando desse sonho. Aliás eu não queria mais escrever. Escrevo agora porque estou precisando de dinheiro. Eu queria ficar calada. Há coisas que nunca escrevi, e morrerei sem tê-las escrito. Essas por dinheiro nenhum. Há grande silêncio dentro de mim. E esse silêncio tem sido a fonte de minhas palavras. E do silêncio tem vindo o que é mais precioso que tudo: o próprio silêncio.

Texto by Clarice Lispector
Foto by Mari Martins

Um comentário:

vivoquinha disse...

Clarice Lispector sabia muito sem ter projeção nenhuma disso!!!Obrigada por compartilhar esse texto tão lindo de uma autora que consegue dizer muito sem utilizar muitas palavras...abraço...