terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Hanseníase ou Lepra





Antigamente, a doença era conhecida como Lepra, hoje usamos mais Hanseníase.
Bem, a Hanseníase é uma doença crônica granulomatosa, proveniente de infecção causada pelo Mycobacterium leprae. Esse bacilo tem capacidade de infectar grande número de pessoas (alta infectividade), no entanto poucos adoecem (baixa patogenicidade); essas propriedades dependem de, além das características intrínsecas do bacilo, de sua relação com o hospedeiro e o grau de endemicidade do meio. O alto potencial incapacitante da Hanseníase está diretamente relacionado ao poder imunogênico do Mycobacterium leprae.
O homem é reconhecido como reservatório e como única fonte de infecção, embora tenham sido identificados animais naturalmente infectados.
A transmissão se dá pela principal via de eliminação dos bacilos dos pacientes multibacilares (virchowianos e dimorfos) que é a área superior, sendo, também, o trato respiratório a mais provável via de entrada do M. leprae no corpo. Seu período de incubação é em média de 2 a 7 anos. Há referências de períodos mais curtos, de 7 meses, como também mais longos, 10 anos.
O diagnóstico é clínico e epidemiológico, realizado por meio da análise da história e condições de vida do paciente, do exame dermatoneurológico, para identificar lesões ou áreas de pele com alterações de sensibilidade e/ou comprometimento de nervos periféricos (sensitivo, motor e/ou autonômico).
A classificação operacional do caso de Hanseníase, visando o tratamento com poliquimioterapia é baseada no número de lesões cutâneas de acordo com os seguintes critérios:
  • Paucibacilar (PB) - Casos com até 5 lesões de pele;
  • Multibacilar (MB) - Casos com mais de 5 lesões de pele. 
Os pacientes devem ser tratados em regime ambulatorial. Nos serviços básicos de saúde, administra-se uma associação de medicamentos, a poliquimioterapia (PQT/OMS). A PQT/OMS mata o bacilo e evita a evolução da doença, prevenindo as incapacidades e deformidades por ela causadas, levando à cura.

by Mari Martins
Imagem by Google
Fonte: Doenças Infecciosas e Parasitárias - Guia de Bolso - 8ª edição revista



Nenhum comentário: