terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Botulismo



 
O Botulismo é uma doença não-contagiosa, resultante da ação de potente neurotoxina. Apresenta-se sob três formas: Botulismo alimentar, Botulismo por ferimentos e Botulismo intestinal. O local de produção de toxina botulínica é diferente em cada uma dessas formas, porém todas se caracterizam clinicamente por manifestações neurológicas e/ou gastrintestinais. É uma doença de elevada letalidade, considerada como emergência médica e de saúde pública. Para minimizar o risco de morte e sequelas, é essencial que o diagnóstico seja feito rapidamente e o tratamento instituído precocemente por meio das medidas gerais de urgência.

O Clostridium botulinum, bacilo gram-positivo, anaeróbio, esporulado, cuja forma vegetativa produz 8 tipos de toxina (A, B, C1, C2, D, E, F e G). As toxinas patogênicas para o homem são as dos tipos A, B, E e F, sendo as mais frequentes a A e a B. Os esporos do C. botulinum resistem a temperaturas de 120ºC por 15 minutos. Estão amplamente distribuídos na natureza, no solo e em sendimentos de lagos e mares. São identificados em produtos agrícolas como legumes, vegetais e mel e em intestinos de mamíferos, peixes e vísceras de crustáceos.

Transmissão:
  • Botulismo alimentar - ingestão de toxinas presentes em alimentos previamente contaminados, que são produzidos ou conservados de maneira inadequada. Cuidado com conservas vegetais, principalmente as artesanais; produtos cárneos cozidos, curados e defumados de forma artesanal; pescados defumados, salgados e fermentados; queijos e pasta de queijos e, raramente, em alimentos enlatados industrializados;
  • Botulismo por ferimentos - as principais portas de contaminação são úlceras crônicas com tecido necrótico, fissuras, esmagamento de membros, ferimentos em áreas profundas e mal vascularizadas ou, ainda, aqueles produzidos por agulhas em usuários de drogas injetáveis e lesões nasais ou sinusais em usuários de drogas inalatórias. É uma das formas mais raras de Botulismo;
  • Botulismo intestinal - ocorre com maior frequência em crianças com idade entre 3 e 26 semanas. Resulta da ingestão de esporos presentes no alimento, seguida da fixação e multiplicação no ambiente intestinal, onde ocorre a produção e absorção de toxina. A ausência da microbiota de proteção permite a germinação de esporos e a produção de toxina na luz intestinal;
  • Outras formas - embora raros, são descritos casos de Botulismo acidental associados ao uso terapêutico ou estético da toxina botulínica e à manipulação de material contaminado, em laboratório (via inalatória ou contato com a conjuntiva).


Sintomas gastrintestinais:
  • náuseas;
  • vômitos;
  • diarreias;
  • dor abdominal.

Sintomas neurológicos:
  • cefaleia;
  • vertigem;
  • tontura;
  • paralisia flácida aguda motora descendente;
  • visão turva;
  • ptose palperal;
  • diplopia;
  • disfalgia;
  • disartria;
  • boca seca.


by Mari Martins
Imagem by Google
Fonte: Doenças Infecciosas e Parasitárias - Guia de Bolso - 8ª edição revista



Nenhum comentário: