sábado, 18 de setembro de 2010

Obesidade




Certa vez fui a uma Endocrinologista e na anamnese ela perguntou várias coisas, me pesou, verificou minha pressão arterial, minha altura e na hora de conversar sobre alimentação ela perguntou o que exatamente eu comia. Eu respondi: - Como arroz integral, macarrão integral, carne grelhada, peixes com ômega 3, feijão azuki, uso adoçante, tomo leite desnatado, iorgurte desnatado, uso creme de leite light, como chocolate 70% cacau meio amargo, raramente como doces industrializados, como legumes, verduras e sou meio resistente com as frutas, mas às vezes como morangos, banana, abacaxi, abacate, amoras, cerejas, etc.
Os Endocrinologistas têm fama de serem cruéis e acho que alimentam a fama, o que havia de errado com a minha alimentação? Acho que nada, talvez o problema fosse que sou gulosa e às vezes repito a porção e que não fazia nenhuma atividade física.
Hoje aos 42 anos sei que atividade física é muito importante, não sou magra porque a genética me condenou mas sou extremamente saudável e não repito com tanta frequência as porções, mas o que me incomodava nas consultas com os Endocrinologistas era o fato da falta de orientação com relação aos alimentos, tive que descobrir tudo com auxílio dos livros porque eles passam uma dieta "igual" para todo mundo e receitam os mesmos remédios, lógico. Cada pessoa tem suas características, seu metabolismo e isso deve ser respeitado.
Acho que os Endocrinologistas também precisam estudar nutrologia, para saber orientar melhor seus pacientes e deixá-los mais seguros e confortáveis.

Um exemplo:

  • Macarrão integral: 80 gramas tem 270 calorias;
  • Macarrão refinado: 80 gramas tem 280 calorias.
A diferença é pouca no número de calorias de um para o outro, 270 X 280 calorias, mas qual a diferença se eu comer um ou outro? A diferença é que o macarrão integral é rico em fibras, ela dá sensação de saciedade mais rápido e diminui a velocidade da digestão do carboidrato, o que faz com que a fome demore mais para voltar e o intestino funcionará melhor. Já o macarrão refinado, por não conter fibras, vira açúcar rapidamente no sangue, disparando a produção de insulina, hormônio que, em excesso no organismo, aumenta os estoques de gordura especialmente na barriga.

Sei que eles atendem inúmeras consultas por dia e que é cansativo, mas uma instrução como essa é muito importante para o paciente entender o que está fazendo, o que está consumindo e se vai dar resustado ou não, Afinal, efeito sanfona é a coisa mais comum na vida de um obeso e com maior orientação isso poderia deixar de ocorrer.

by Mari Martins
Imagem by Google

3 comentários:

vidarealdasam disse...

Minha querida amiga, excelente post, muito esclarecedor !
Realmente, a diferença de calorias costuma ser pequena, e muitas pessoas não tem conhecimento dos valores nutritivos e do efeito disso no organismo.
Vejo erros bastante simples, mas que comprometem a dieta e até a saúde, mas que são cometidos por pura falta de uma boa orientação.
Um grande abraço e bom sábadão !

Carlos Roberto de Oliveira disse...

Eu acho que, independentemente da especialidade, a maioria dos médicos precisa aprender a honrar o juramento de Hipócrates, o que não é feito.

Afora isso, um pouquinho mais de humanidade e cuidado com o ser humano não lhes faria mal.

Um abração...

Artigos & Crônicas disse...

Concordo com você.
Quando entendemos o porque de termos que mudar nossos hábitos alimentares, o fazemos com mais disposição e o que antes parecia um sacrifício, passa a ser mais prazeiroso.
Abraços.
Sonia Costa