segunda-feira, 12 de julho de 2010

Anorexia

Ontem eu assisti a um documentário sobre Anorexia e o que mais me chamou a atenção, foi o fato de que hoje, é crescente o número de crianças anoréxicas nos EUA. No documentário apareciam crianças de 8 anos, de 10 anos, todas internadas em uma clínica cujo tratamento nem sei se é o mais indicado, achei estranha a forma como a doença vem sendo tratada nos EUA.
As meninas de 8 a 18 anos estavam internadas nessa clínica onde o foco era "forçar" as pacientes a comer, eles simplesmente obrigavam as meninas a comer, uma enfermeira sentava-se à mesa com as meninas e inspecionava se comiam, engoliam, se não forjavam nada na hora da alimentação, o atendimento psicológico em sí era muito fraco, elas faziam terapia de grupo uma vez por semana.
A maioria das meninas deram depoimento no documentário sobre o que sentiam, o que as levou a parar de comer, etc. As crianças de 8 a 10 anos não conseguiam verbalizar muito bem o problema, a visão delas era diferente, afinal, são crianças, elas simplesmente comiam tudo, raspavam o prato para não ficarem trancafiadas numa clínica, elas queriam voltar para suas casas logo, mas isso não resolvia o problema, pois comiam só por obrigação, psicológicamente o problema não era resolvido e com certeza isso iria trazer mais problemas futuramente.
É assustador imaginar esse tipo de problema, muito mais assustador deve ser para o doente e seus familiares vivenciar esse problema.
Você internar sua filha numa clínica onde ela vai ter acompanhamento médico, psquiátrico, alimentação adequada, acompanhamento e pesagem uma vez por semana é uma coisa, mas internar sua filha doente numa clínica que apenas a obriga a comer é incoerente, isso não resolverá o problema. Era uma cena de tortura ver aquelas meninas se alimentando, umas chorando, outras com nausea, pareciam sentir nojo da comida e as menores, de 8 e 10 anos comiam feito robôs, nem mastigavam direito, só engoliam e eram meninas que chegaram a consumir apenas 150 calorias diárias na fase crônica da doença e ali elas eram obrigadas a consumir 2.400 calorias por dia, para compensar tudo que deixaram de comer anteriormente, será que isso não deveria ser calculado e talvez essa quantidade de alimentos e calorias sendo aumentados gradativamente?
Não sei se a visão que tenho está correta, sou leiga, mas pelo pouco que já li sobre essa doença, essa não é a melhor forma de tratá-la, isso parece mais um castigo do que um tratamento.

by Mari Martins

Nenhum comentário: