segunda-feira, 14 de março de 2011

A Amebíase



Hoje eu quero falar sobre uma doença parasitária muito comum nos países em desenvolvimento, a Amebíase.

Estima-se que mais de 10% da população mundial estão infectados por E. dispar e E. histolytica, que são espécies morfologicamente idênticas, mas só a última é patogênica, sendo sua ocorrência estimada em 50 milhões de casos invasivos/ano. Em países em desenvolvimento, a prevalência da infecção é alta, sendo que 90% dos infectados podem eliminar o parasito durante 12 meses.

Sua ocorrência está relacionada com condições inadequadas de saneamento básico, deficiência de higiene pessoal e ambiental e determinadas práticas sexuais. As principais fontes de infecção são a ingestão de alimentos ou água contaminados por fezes contendo cistos amebianos maduros. Ocorre mais raramente na transmissão sexual, devido a contato oral-anal. A falta de higiene domiciliar pode facilitar a disseminação de cistos nos componentes da família. Os portadores assintomáticos, que manipulam alimentos, são importantes disseminadores dessa protozoose. O período de incubação é entre 2 a 4 semanas, podendo variar dias, meses ou anos. Ela pode causar complicações como Granulomas amebianos (amebomas) na parede do intestino grosso, abcesso hepático, pulmonar ou cerebral, pericardite, colite fulminante com perfuração.

Por isso, é muito importante lavar as mãos após o uso do sanitário e lavar cuidadosamente os vegetais com água potável, e deixando-os imersos em hipoclorito de sódio a 2,5% (uma colher de sopa de hipoclorito em 1 litro de água filtrada), durante meia hora, para eliminar os cistos.

by Mari Martins
Fonte de Pesquisa: Doenças Infecciosas e Parasitárias - Guia de Bolso - 8ª edição revista - 2010
Imagem by Google


Um comentário:

Jucifer disse...

ola minha rica
mas q bixinha terrivel num é mesmo
isso resalta a importancia de lavar as patinhas e os alimentos muito bem lavadim

bjim minha rica