segunda-feira, 10 de setembro de 2012

A Radioterapia no Câncer de Mama





RADIOTERAPIA NO CÂNCER DE MAMA


É um tratamento a base de aplicação de radiação direcionada ao tumor ou ao local do tumor. Tem o objetivo de evitar a volta da doença. A radiação bloqueia o crescimento das células cancerosas. Pode ser usada antes da cirurgia afim de diminuir o tamanho do tumor ou após a cirurgia para impedir recidivas. Requer um especialista (radioterapeuta) e equipamentos sofisticados. A máquina é chamada acelerador linear que fornece quantidades precisas de raios de alta energia para matar as células cancerosas. Diminui o risco de recorrência em até 70% e com isso aumenta as chances de sobrevida. A pele é marcada com tinta com a finalidade de delimitar a área a ser irradiada. São feitos cálculos para que a radiação não atinja tecidos normais. O tratamento é diário (25 a 30 sessões) e dura cerca de 15 minutos. Os efeitos colaterais são poucos: escurecimento da pele como se tivesse tomado sol; Fadiga que melhora após o término do tratamento e diminuição das hemácias. A longo prazo podem ocorrer, em raros casos: fraturas de costelas e inflamação nos pulmões, que se curam sem tratamento e danos ao coração. A radioterapia também é eficaz em casos de metástases em óssos e cérebro. Um tratamento pioneiro que reduz as sessões de radioterapia a uma dose com 30 minutos de duração tem sido testado e tem atingido bons resultados segundo médicos do University College de Londres. As pacientes submetidas à radioterapia devem ter os seguintes cuidados: Procurar o médico em casos de tosse, sudorese, febre ou dor; Descanso adequado; Dieta saudável e realização de exames de sangue regularmente. Deve evitar roupas apertadas e sol no local irradiado e usar loções hidratantes. Quem recebe a aplicação não se torna radioativo.


Coluna Saúde da Mulher - assinada pela Dra. Elaine K. Vasconcelos - Ginecologista, Obstetra e Mastologista - CRM: 101324.
Imagem by Mari Martins




Nenhum comentário: