terça-feira, 4 de setembro de 2012

A Quimioterapia no Câncer de Mama




QUIMIOTERAPIA NO CÂNCER DE MAMA

A quimioterapia é um tratamento que complementa a cirurgia no câncer de mama. Pode ser administrada via oral ou intravenosa e é dada em ciclos. A forma mais usada no câncer de mama é no soro. Quando administrada antes da cirurgia é chamada neoadjuvante e serve para reduzir o tumor e testar sua sensibilidade à droga utilizada. Quando utilizada no pós operatório é chamada adjuvante. A função da quimioterapia adjuvane é prevenir o aparecimento do tumor em outros órgãos e a recidiva nas mamas, por ter uma ação sistêmica (em todo o organismo). Por ter ação sistêmica, pode atacar também as células saudáveis, resultando nos efeitos colaterais: anemia, desidratação, diminuição da imunidade, depressão, náuseas, vômitos, diarréia e queda dos cabelos. Com o término do tratamento as células saudáveis se recuperam e cessam os efeitos colaterias. Nem sempre é necessário fazer quimioterapia para o câncer de mama. A indicação da quimio vai depender de diversos fatores como o grau de agressividade do tumor, a idade da paciente, o tamanho do tumor e o resultado da análise dos gânglios linfáticos axilares no momento da cirurgia. Alguns tumores são hormônio-dependentes. Se a análise dos receptores desses hormônios nas células cancerígenas mostrarem-se positiva, podemos administrar hormônio-terapia adjuvante em comprimidos via oral de tamoxifeno que é utilizado por um período de 5 anos. As drogas quimioterápicas mais utilizadas são: ciclofosfamida, epirrubicina, fluorouracil, paclitaxel, doxorrubicina e docetaxel. Essas drogas podem ser combinadas. O tratamento quimioterápico dura, em média, de 3 a 6 meses.
 
 
Coluna Saúde da Mulher - assinada pela Dra. Elaine K. Vasconcelos - Ginecologista, Obstetra e Mastologista - CRM: 101324.
Imagem by Mari Martins



 

Nenhum comentário: