terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

O Incompreendido



Ele pôs fogo na Terra,
Inverteu tudo que ela era:
Virou-a de cabeça para baixo,
Pelo direito e pelo avesso,
Por todo lado.

Não deixou pedra sobre pedra,
Consertou-lhe o que era errado:
Desfez os "laços" familiares,
Separou irmãos de irmãs,
Pais de filhos.

Em vez de paz, trouxe-lhe a guerra,
O conflito!
Dividiu-a em duas eras.
Era um revolucionários!
Ensinou o homem a rezar,
Ensinou-o a perdoar,
A não se preocupar,
A amar.

Vivia com a multidão
Sem lugar para repousar a cabeça
Ou mesmo alimentação...
Obedecia somente ao Pai!

Os sacerdotes não O suportaram,
Cuspiram Nele,
Bateram Nele,
Zombaram Dele,
Coroaram-No com espinhos
E, sem que nada mais pudessem fazer,
Pregaram-No em uma cruz,
Que carregam, ainda hoje, como adereço, no peito,
Sem terem peito para a carregar!
...Quem, ele?

Poema by Walter Pinheiro Nogueira
Foto by Mari Martins


Nenhum comentário: