quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Martha Medeiros


Eu triste sou calada
Eu brava sou estúpida
Eu lúcida sou chata
Eu gata sou esperta
Eu cega sou vidente
Eu carente sou insana
Eu malandra sou fresca
Eu seca sou vazia
Eu fria sou distante
Eu quente sou oleosa
Eu prosa sou tantas
Eu santa sou gelada
Eu salgada sou crua
Eu pura sou tentada
Eu sentada sou alta
Eu jovem sou donzela
Eu bela sou fútil
Eu útil sou boa
Eu à toa sou tua.
 
Poema by Martha Medeiros
Foto by Mari Martins
 

Um comentário:

vivoquinha disse...

você deve saber que eu adoro, né? Obrigada pela postagem linda.beijos...Vivoquinha