quinta-feira, 18 de novembro de 2010

O leitor sobre o livro



O livro que alguém sublinha
Reveste-se de outra autoria;
Ali registram-se ênfases,
Escolhas que antes não havia.
Se os livros na estante
De alguém já o denunciam
— Como, de resto, as demais
Coisas suas, pessoais:
Roupas, fotografias,
O livro que esse alguém,
Além de ler, amacia
Com riscos, nódoas, com
Mãos reivindicativas,
Termina por se tornar
Tão íntimo que exclusivista
Como um lado do lar
Que não se abre às visitas.
Como um lado do lar,
Melhor dizer, de sua vida,
Que não se abre ou publica:
Resguarda as coisas não ditas.

Poema by Pedro Amaral - www.releituras.com/pamaral_menu.asp
Foto by Mari Martins


Um comentário:

Principe Encantado disse...

Muito bonito o poema de Pedro Amaral, gostei.
Abraços forte