terça-feira, 9 de novembro de 2010

Lembranças - Lapsos



Sentada em um banco de jardim
ela houve a sinfonia dos pássaros
a brisa da tarde acaricia seus cabelos brancos
ela não entende muito bem o que está havendo
apenas olha pro horizonte.

Lembranças
Lapsos
Lembranças
Lapsos

E os pássaros cantam
e da história antiga ela se lembra
simula a história da amiga com a sua
mistura tudo
inverte a protagonista
agora é ela que adoece
agora é ela que esquece.

Lembranças
Lapsos

A amiga já se foi e sentia o mesmo que ela!

Lembranças
Lapsos

A têmpora envelhecida
o medo
a dúvida
lembranças, poucas restam
lapsos, tornam-se frequentes.

Ela me pergunta: - O que está acontecendo comigo?
Ela mesmo responde: - Nada, não tenho nada, é apenas o peso da idade!

Texto e Foto by Mari Martins


Um comentário:

Beth Muniz disse...

Oi Mari,
Pensar nesta possibilidade às vezes me assusta.
Mas, aí, paro e penso: Quando a hora chegar é será bem melhor ter lapsos e estar viva.
Adorei a poesia.
Parabéns.
Grande beijo.