sexta-feira, 21 de maio de 2010

Cyberbullying

Você sabe o que significa Cyberbullying?
É uma pratica que envolve o uso de "Tecnologias de Informação e Comunicação" para dar apoio a comportamentos deliberados, repetidos e hostis praticados por um indivíduo ou grupo com intenção de prejudicar outrem.

Esta semana eu assisti a um documentário falando sobre Cyberbullying e fiquei assustada com o que vi e fiquei com esse assunto na cabeça. O que leva o indíviduo, no caso crianças e adolescentes a cometer essa crueldade com colegas de escola ou da mesma comunidade? O Cyberbullyng é mais abrangente do que o Bullying porque faz vítimas fora do convívio social, pessoas cadastram-se em sites e começam a receber ameças virtualmente. No documentário que vi, uma família foi abatida pelo suicídio do filho adolescente e depois do acontecimento, o pai conectava-se com os amigos viruais do filho para descobrir por que o filho havia cometido suicídio. O que mais me intriga é como os pais nunca perceberam, nunca observaram comportamentos estranhos nesse adolescente? Será que os pais não prestam atenção em seus filhos o suficiente? Esse garoto visitou vários sites que falavam de suicídio, até ensinava a forma como ele deveria se suicidar de acordo com sua personalidade, como pode isso? O site ou seu "administrador" chegou a conhecer melhor a personalidade do filho do que seus próprios pais? Depois de muita conversa o pai conseguiu obter informações dos amigos virtuais do menino e chegou-se a conclusão de que o menino estava depressivo, sofria com o problema de Bullying, diziam que ele era um fracassado e ele suicidou-se por não aguentar a pressão.

O que leva as crianças e adolescentes a cometer verdadeiras crueldades e a torturar física e psicologicamente seus colegas? Assistir muita televisão, jogar video games violentos, sofrer violência doméstica, falta de educação e orientação por parte dos pais e educadores? Seria um problema genético? O que poderia ser?

Será que não haveria uma forma de acabar com o Cyberbullying aumentando a fiscalização na internet, obrigando que todos que façam um site, blog ou sei lá o que se cadastrem informando todos os seus dados e conforme o tipo de site nãoseja liberado espaço para aquele seguimento e indivíduo? Há que se pensar e estudar melhor isso!

Texto by Mari Martins

Referências: Definição de Cyberbullying por Bill Belsey - www.cyberbullying.org

4 comentários:

Roniel A. Julio disse...

Amiga Mari, devemos nos empenhar ao máximo para acabar com o Cyberbullying, pois as crianças são as principais afetadas com isso, e as agressões devem terminar. Abraços. Roniel.

Mary Miranda disse...

Olá, Mari!
Há de se pensar mesmo na questão pais x filhos porque, a princípio, parece uma falta de diálogo...
Realmente você tocou num ponto fantástico: como os virtuais conhecem mais as crianças que os próprios pais?
É muita gente que se conhece, mas a solidão acomete a muitas pessoas, o que poderíamos chamar de o "mal do século"!
Bem, o que eu posso dizer é que os responsáveis deveriam observar melhor os seus filhos!...
Um forte abraço,
Mary :-)

Mr.Jones disse...

Sabe onde deve ter milhares de pessoas que cometem o Cyberbullying?La no Orkut.

Marianne disse...

Mari, acredito eu que a história é muito mais complicada do que se imagina.
Existem sites que incentivam a bulimia, a anorexia, com outros nomes para camuflar a verdadeira intenção que existe por trás.

Além disso, o que existe de site incentivando, ensinando e tudo o mais o suicídio, é complicado.

Já vi casos onde uma menina se suicidou com uma arma no banheiro da escola e NINGUÉM sabia a razão. Muito menos os pais.
Depois de investigar no histórico do computador da menina, notaram que ela conversava com as amigas que estava triste, mas ngm levava a sério. Ela tinha depressão profunda e um site ensinou-a a se matar de forma que todo mundo notasse a sua existência, deixando pistas para descobrirem a razão e por fim, encontrarem uma carta sua, explicando o pq.

Tudo para chamar a atenção, pois tinha carência muito grande. Os pais não ligavam muito e ela vivia longe deles, já que ela ficava em casa sozinha muitas vezes só com a irmã mais velha, enquanto os pais viajavam.

Existem casos piores.
O melhor a fazer e o mais seguro, é orientação dos pais.

Abraços,
Mari.