quinta-feira, 13 de maio de 2010

Contracultura

Não sei por que mas hoje acordei com o tema "Contracultura" na cabeça, talvez seja um sentimento de nostalgia, pois nada de "novo e interessante" acontece no mundo, nada não tão suntuoso na cultura pelo menos. Todos os dias ligo a TV e vejo apenas atentados no oriente médio, assaltos, assassinatos e sequestros relâmpago no Brasil, propaganda política, novela, seriados americanos, filmes "enlatados" em sua maioria, ligo o rádio e o rock que "nem é mais tão Rock", agora é o "POP Rock" que toca. Tenho apenas 41 anos e não peguei o rabo do cometa, o que sei é pouco e de ler aos poucos sobre os Beatnicks, sobre o existencialismo de Sartre, sobre o movimento Hippie e o festival de Woodstock, sobre o movimento Punk, etc. No Brasil tivemos a ditadura, a ignorância militar e o exílio. Sou incontestavelmente "Tropicalista" e visto a camisa! Graças a Deus tivemos a genialidade de Caetano, Gil, Bethânia, Gal, Tom Zé, Torquato Neto, Os Mutantes, Hélio Oiticica, Waly Salomão, Rita Lee, Rogério Duprat, Nara Leão, Glauber Rocha, José Celso Martinez e tantos outros que não me lembro agora. Essa genialidade e idealismo influenciou muita gente boa no teatro, no cinema e na música brasileira, mas está faltando algo, está faltando uma "Brasa" mora? Uma pimentinha para temperar os dias de hoje.

by Mari Martins

5 comentários:

Leila Franca disse...

Olá,

Eu vivi um pouco esta fase do movimento hippie, que chegou ao Brasil um pouco depois. Acho que esses movimentos tem altos e baixos. Se uma geração ou duas foi revolucionária, depois que atinge o seu máximo, as próximas gerações tendem a ser mais conservadoras, que é o que estamos vivendo agora.

bjs

alltheuniverse disse...

A geração atual, que é a minha, tem uma grande tendência conservadora e não queremos 'confusão'.
Existem os que tentam criar uma idéia legal e ir atrás disso...
Mas eu, por ex, vejo outras maneiras de se conseguir o que quer, sem causar tanto impacto e tanto escândalo.

Talvez a próxima faça isso, por achar a nossa geração 'monótona demais', mas eu creio (opinião totalmente pessoal) que todos estão caminhando para um lado onde talvez não necessite brigas e escândalos para tornar as coisas um pouco mais justas.

Abraços,
Mari.

aservicodoreino disse...

É só olhar para os estilois musicais, ou o que passam na TV em 10 minutos e realmente nos vemos em um caos, apelações e duplo sentido vigoram.
E quem ditará nossa cultura agora, influenciados por um americanismo nos anos 50 e 60, e logo após a tropicália nossa redenção, depois disso expoentes imprtantes, mas foram apenas ecos desse período de ouro da cultura brasileira (musicalmente falando).

Roniel A. disse...

Amiga Mari, acredito que cada época tem seu marco histórico. No Brasil, as épocas da Ditadura Militar e da geração Bossa Nova e Jovem Guarda marcaram bastante, e cada uma delas deixou algo de últil para todos nós, mesmo com algumas lembranças não tão boas assim. Abraços. Roniel.

Mari disse...

Olá Marinise,
Aqui tem um presentinho pra você:

http://asingleme.blogspot.com/2010/05/sunshine-award-minhas-indicacoes.html

Espero que goste, foi com grande carinho!

Abraço forte,
Mari.