quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Poesia Viva


Poema Sincero

Tenho feito poemas pequenos
não no tamanho
não na medida
Tenho feito poemas sem feridas
sem interessantes saídas
Antigamente quando isso acontecia
eu tinha logo um medo de
não ser poeta de verdade.
Tenho feito poemas sem eternidade
e já não me chateio com isso.
O que consigo agora
são pequenas confissões,
observaões interrompidas
pedaços de diário na viagem
Agora que já entendo a poesia como destino
e os estados como passagem,
Fico quietinha na estiagem,
como uma gatinha, quentinha
ouvindo as besteiras que meu amor me conta ao ouvido,
sem pé nem causa...
É que agora sei mesmo que sou poeta...
E com direito à pausa.
 
 
Poema by Elisa Lucinda
Foto by Mari Martins


Nenhum comentário: