terça-feira, 30 de agosto de 2011

Ceratocone

 

Ontem em falei sobre Glaucoma, uma doença silenciosa que leva à cegueira. Hoje, quero falar sobre o Ceratocone, que também pode levar à cegueira dependendo da sua evolução.
É muito importante cuidar da saúde ocular, visite um oftalmologista caso sinta algum desconforto ou tenha sintomas de fotofobia, caso tenha alguma distorção visual, muita alergia, coceira nos olhos, etc.
Eu sou portadora de Ceratocone, mas o meu problema está controlado, mas muitas pessoas nem sabem que são portadoras da doença e isso pode prejudicá-las seriamente.

Ceratocone (do Grego: kerato- chifre, córnea; e konos cone), é uma doença não-inflamatória degenerativa do olho na qual as mudanças estruturais na córnea a tornam mais fina e a modificam para um formato mais cônico que a sua curva gradual normal. O ceratocone pode causar distorção substancial da visão, com múltiplas imagens, raios e sensibilidade à luz sendo frequentemente relatados pelos pacientes.
Ceratocone é a distrofia mais comum da córnea, afetando uma pessoa a cada mil, parecendo ocorrer em populações em todo o mundo, embora alguns grupos étnicos apresentam uma prevalência maior que outros. Geralmente é diagnosticado em pacientes adolescentes e apresenta seu estado mais grave na segunda e terceira década de vida.


Sintomas
Pessoas com ceratocone precoce tipicamente relatam uma pequena desfocagem de sua visão e procuram um profissional em busca de lentes de contato para dirigir ou ler. Nos estágios precoces, os sintomas do ceratocone podem ser os mesmos de qualquer outro defeito refrativo do olho. Com a progressão da doença, a visão deteriora, muitas vezes rapidamente, podendo inclusive levar a cegueira. A acuidade visual se torna prejudicada em todas as distâncias e a visão noturna é frequentemente bastante fraca. Algumas pessoas possuem visão em um olho que é notavelmente pior que no outro olho. Alguns desenvolvem fotofobia (sensibilidade à luz forte), astenopia por forçar os olhos durante a leitura ou coceira no olho. Entretanto, normalmente há pouca ou nenhuma sensação de dor.
O sintoma clássico do ceratocone é a percepção de múltiplas imagens fantasmas, conhecidas como poliopia monocular. Este efeito é mais claramente observado em um campo de visão com alto contraste, como um ponto de luz em um ambiente escuro. Ao invés de ver somente um ponto, a pessoa com ceratocone enxerga muitas imagens daquele ponto, espalhadas em padrão muito irregular. Este padrão tipicamente não se altera a cada dia, mas geralmente durante o tempo ele toma novas formas. Em alguns casos o paciente pode apresentar diplopia monocular, nesse caso é a presença de imagem dupla e não múltipla.





O diagnóstico
O diagnóstico é realizado através de exame oftalmológico e pode ser confirmado através da Topografia Corneana Computadorizada. O exame de Topografia Corneana Computadorizada, como o próprio nome diz, faz uma análise topográfica da superfície da córnea que nos permite obter informações quantitativas e qualitativas a respeito da córnea do paciente, através de um gráfico numérico e de cores. Com isto, além de muito ajudar no diagnóstico, nos permite um acompanhamento da evolução, forma, posição e tamanho do cone. Alguns indícios clínicos como mudanças frequentes da refração e a impossibilidade de conseguir boa acuidade visual com óculos são também dados que auxiliam na realização do diagnóstico e seguimento da evolução do ceratocone.

Forma de tratamento
O tratamento do ceratocone visa sempre proporcionar uma boa visão ao paciente, bem como garantir seu conforto na utilização dos recursos que serão empregados (óculos, lentes de contato rígidas, implante do Anel de Ferrara, Cross Link, Transplante de Córnea).

by Mari Martins
Imagens by Google

Maiores informações:
Centro Avançado de Diagnóstico e Tratamento de Ceratocone - Departamento de Oftalmologia da UNIFESP - SP - Rua Botucatu, 723 – Vila Clementino - Telefone para informações: (11) 5576-4460

Nenhum comentário: