quarta-feira, 13 de julho de 2011

Malária, uma ameaça!



Hoje eu quero falar um pouco, sobre uma doença que ainda ameaça e muito a população brasileira, principalmente a que vive na região da Amazônia.
A Malária é uma doença infecciosa febril aguda, cujos agentes etiológicos são protozoários transmitidos por vetores. O quadro clínico típico é febre alta, calafrios, sudorese profusa e cefaléia, que ocorrem em padrões cíclicos, dependendo da espécie de plasmódio infectante. Em alguns pacientes, aparecem sintomas prodrômicos, vários dias antes dos paroxismos da doença, a exemplo de náuseas, vômitos, astenia, fadiga, anorexia. Inicialmente apresenta-se o período de infecção, que corresponde a fase sintomática inicial, caracterizada por mal-estar, cansaço e mialgia. Isso pode evoluir e trazer complicações.
No Brasil, três espécies de Plasmodium causam Malária em seres humanos: P. malariae, P. vivax, P. falciparum e o homem é o único reservatório com importância epidemiológica para a Malária humana. Os vetores são os mosquitos pertencentes à ordem Diptera, infraordem Colicomorpha, família Culicidae, gênero Anopheles Meigen, 1818. O gênero compreende cerca de 400 espécies, no mundo, sendo 60 no Brasil. A transmissão se dá por meio da picada da fêmea do mosquito Anopheles, infectada pelo Plasmodium. Os vetores são mais abundantes nos períodos crepusculares, ao entardecer e ao amanhecer. Não há transmissão direta da doença de pessoa a pessoa.

A Malária é reconhecida como um grave problema de saúde pública no mundo, ocorrendo em quase 50% da população, em mais de 109 países e territórios. São estimados ocorrência de 300 milhões de novos casos e 1 milhão de mortes por ano, principalmente em crianças com menos de 5 anos e mulheres grávidas do continente africano. No Brasil, a região amazônica é considerada a área endêmica do país para Malária. Em 2008 foram registrados 313.922 casos de Malária, sendo a espécie P. vivax responsável por 85% dos casos notificados. Neste ano, aproximadamente 97% dos casos de Malária se concentram em seis estados da região amazônica: Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia e Roraima. Os outros três estados, Maranhão, Mato Grosso e Tocantins foram responsáveis por menos de 3% dos casos de Malária no país.

Tome cuidado! Se você reside na região amazônica, previna-se usando mosquiteiros impregnados com inseticidas, use roupas que protejam pernas e braços, use repelentes constantemente, instale telas nas portas e janelas da sua casa para evitar a presença dos mosquitos e se perceber algum sintoma da doença, procure um médico imediatamente.

Se você está fazendo turismo, informe-se melhor sobre o problema, sobre as áreas de risco e sobre a transmissibilidade da doença. Previna-se usando repelentes, roupas que cubram pernas e braços e solicite um mosquiteiro e inseticida no hotel onde estiver acomodado.

by Mari Martins
Fonte de pesquisa: Doenças Infecciosas e Parasitárias - Guia de Bolso - 8ª edição revista
Imagem by Google


Nenhum comentário: