quarta-feira, 6 de julho de 2011

O Perigo Invisível


Todos nós sabemos, que os defensivos agrícolas oferecem riscos à saúde, principalmente se forem produzidos fora das normas. No Brasil, a fiscalização é responsabilidade da ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e do IBAMA. Os técnicos da Agência são responsáveis pelos testes para verificar se um agrotóxico é, ou não, prejudicial ao organismo e ao meio ambiente e a confiabilidade dos testes, são atestadas por alguns especilistas.

Há porém, inúmeros médicos e pesquisadores, que afirmam que o que eles atestam e dizem que é inócuo à nossa saúde, fazem mal sim ao nosso organismo e que, os danos aparecem a médio ou a longo prazo. Os pesquisadores afirmam ainda, que os estudos aqui no Brasil, e no exterior, são insuficientes para afirmar que o uso de agrotóxicos não faz mal e afirmam que algumas substâncias podem manifestar os primeiros efeitos após décadas de uso e um teste de laboratório não dura décadas. Citam ainda que há evidências que indicam que a ingestão prolongada dos resquícios de agrotóxicos nos alimentos podem causar doenças como hipotireoidismo, hiperatividade infantil e até alguns tipos de câncer.

Como se já não bastasse, há ainda a preocupação com os produtos ilegais, que alteram a composição química dos defensivos fora dos padrões autorizados e isso potencializa os riscos. Há também o contrabando e a venda de agrotóxicos não permitidos pela legislação brasileira, além de produções clandestinas e também o uso de produtos vencidos.

Bem, como nem tudo é perfeito, o melhor para evitar a contaminação, já que somos reféns desse sistema, é consumir sempre produtos da estação, lavar bem os alimentos antes de consumí-los e optar por consumir produtos orgânicos.

by Mari Martins
Imagem by Google


Nenhum comentário: