quarta-feira, 18 de maio de 2011

CRACK, o enfrentamento!

´


Especialistas defendem abordagem multiprofissional, que inclui elaboração conjunta de protocolo para tratamento.

A epidemia de crack que se instalou no país só será vencida com esforço conjunto e integração entre diversas esferas envolvidas.
Este acordo foi definido durante o I Seminário Crack: Construindo um Consenso, promovido pelo CFM (Conselho Federal de Medicina), com apoio do Cremepe (Conselho Regional de Medicina de Pernambuco).
Como encaminhamento do fórum, o CFM e as demais entidades médicas pretendem contribuir com a construção de um protocolo de tratamento ao crack. Um novo encontro está agendado para o próximo semestre, com foco em capacitação e qualificação para profissionais.
Cerca de 140 representantes de entidades médicas, Ministério da Saúde, Congresso Nacional, Ministério Público, Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad), bem como médicos, psicólogos, assistentes sociais e especialistas, participaram do encontro promovido dia 19 de abril em Brasília.
Para os participantes, o consumo, tratamento e consequências do uso dessa droga constituem complexo problema multidisciplinar. A solução deve ser associada a diversas frentes, com ações que diminuam as condições de vulnerabilidade social.

by Mari Martins
Fonte de pesquisa: Jornal Medicina - CFM
Imagem by Google




Um comentário:

Beth Muniz disse...

Oi Mari,
Correto.
A abordagem deve realmente multidisciplinar, com a capacitação de todos os profissionais que formaram a equipe e com o estabelecimento da interdisciplinariedade.
Boa. Muito boa!
Beijão querida.