quarta-feira, 19 de junho de 2013

Bexiga Hiperativa




BEXIGA HIPERATIVA


É uma condição onde o paciente tem maior frequência urinária e urgência para urinar. Pode ocorrer com ou sem incontinência, mas a sensação é de vontade de urinar com maior frequência, inclusive à noite. O que ocorre é a contração involuntária do músculo da bexiga. Pode ser dividida em bexiga hiperativa neurogênica, quando ocorre alguma lesão localizada no cérebro (lembrando que é o cérebro que avisa quando devemos urinar); Bexiga hiperativa não neurogênica, quando ocorre obstrução da via urinária ou alterações na inervação do sistema urinário, hipersensibilidade da bexiga ou ainda uma instabilidade do músculo detrusor (localizado na bexiga). O diagnóstico é feito com a coleta de informações da paciente e com o estudo urodinâmico que vai nos dizer se o músculo vesical está com contrações involuntárias. O diário miccional é outra ferramenta para ajudar no diagnóstico, a paciente vai anotar dados como frequência e volume urinários. Os exames de urina I e urocultura sempre devem ser realizados para se afastar o quadro de infecção do trato urinário. A cistoscopia deve ser realizada quando ocorre a suspeita de corpo estranho na bexiga. O tratamento inclui fisioterapia e medicamentos. Algumas vezes é necessário o cateterismo vesical intermitente (sonda). Os medicamentos têm a função de inibir as contrações do músculo detrusor. Os principais são oxibutinina e o tolterodine. Este último mais caro porém com menos efeitos colaterais.


Coluna Saúde da Mulher - assinada pela Dra. Elaine K. Vasconcelos - Ginecologista, Obstetra e Mastologista - CRM: 101324.
Imagem by Mari Martins




Nenhum comentário: