terça-feira, 11 de junho de 2013

AIDS e gravidez




AIDS e gravidez


A gestante portadora do vírus da AIDS pode transmitir o vírus durante a gravidez, no parto e durante a amamentação. O tratamento durante a gestação pode reduzir muito esta transmissão e, portanto, toda gestante deve fazer o exame anti-HIV durante o pré-natal. Cerca de 15 a 30% dos fetos de mães portadoras, não tratadas, podem pegar o vírus. A gestante portadora deve ser acompanhada também pelo infectologista, além do obstetra. O tratamento é feito com AZT, a partir da 14 semana de gestação, até o final da gestação. O bebê é tratado assim que nasce, também com AZT, até 45 dias de vida. O medicamento é gratuito, fornecido pelo Estado. A mãe portadora não pode amamentar e sua lactação deve ser inibida. Quanto mais cedo é descoberta a mãe portadora e iniciado o tratamento, maiores são as chances de nascer uma criança saudável. No caso da mulher querer engravidar, já sabendo que é soropositiva e o parceiro não tem o vírus, é possível a autoinseminação. Se somente o parceiro for soropositivo, é possível a gravidez com uma técnica de lavagem do esperma. O esperma é centrifugado, separado e lavado. É possível a inseminação artificial durante o período fértil da mulher. O homem deve estar com a carga viral indetectável e o sucesso é de 98% da criança e da mãe não serem contaminadas.


Coluna Saúde da Mulher - assinada pela Dra. Elaine K. Vasconcelos - Ginecologista, Obstetra e Mastologista - CRM: 101324.
Imagem by Mari Martins




Nenhum comentário: