segunda-feira, 6 de maio de 2013

Lábio Leporino






LÁBIO LEPORINO


Quando a gestante está entre 1 e 2 meses ocorre a formação labial completa. Em alguns casos, não ocorre o fechamento dessa estrutura, ocasionando o que chamamos de lábio leporino. A criança nasce com uma abertura, como se fosse uma fissura, no lábio superior. É, portanto, uma patologia congênita. Pode ser completa, quando também atinge o palato (céu da boca) ou incompleta. Metade das crianças que nascem com lábio leporino também apresentam a fenda no céu da boca. A cada 650 crianças nascidas no Brasil, uma pode apresentar essa anomalia. As causas são várias: hereditariedade, uso de álcool, cigarro e medicamentos (anticonvulsivantes e corticóides) no 1º trimestre de gestação e infecções. O diagnóstico é feito com a ultrassonografia durante o pré-natal e a cirurgia de correção pode ser realizada com 3 meses, quando é só no lábio e 12 meses quando a fissura atinge o palato. As crianças acometidas têm dificuldade de amamentar porque, algumas vezes, a cavidade oral se comunica com a cavidade nasal. Existem técnicas de amamentação que ajudam a não aspiração do leite. A mãe deve segurar o bebê de forma que o nariz e a boca ficam mais altos que o restante do corpo e o mamilo deve ser introduzido na boca do neném de modo a preencher a falha no lábio. Em poucas vezes, a criança só vai conseguir nutrição através de sonda nasogástrica. É importantíssimo que a criança tenha total atenção dos pais e que os pais saibam que crianças com essa malformação não têm, necessariamente, nenhum outro comprometimento físico ou mental e que as anomalias são totalmente corrigidas com cirurgia plástica e a criança levará uma vida absolutamente normal.


Coluna Saúde da Mulher - assinada pela Dra. Elaine K. Vasconcelos - Ginecologista, Obstetra e Mastologista - CRM: 101324. 
Imagem by Mari Martins




Nenhum comentário: