terça-feira, 5 de abril de 2011

Ascaridíase



Hoje, eu quero falar com você sobre a Ascaridíase, que apesar de ser uma patologia que na maioria das vezes não apresenta sintomas, causa muito problemas.
O Brasil tem muitos problemas relacionados ao saneamento básico e sobre a questão da educação com relação à higiene, por isso, é importante saber mais sobre o assunto, inclusive para ajudar a controlar a doença.

Trata-se de uma doença parasitária do homem, causada por helminto. Habitualmente, não causa sintomatologia, mas pode manifestar-se por dor abdominal, diarreia, náuseas e anorexia. Quando há grande número de parasitas, pode ocorrer quadro de obstrução intestinal. Em virtude do ciclo pulmonar da larva, alguns pacientes apresentam manifestações pulmonares, com broncoespasmo, hemoptise e pneumonite, caracterizando a síndrome de Löefler, que cursa com eosinofilia importante.
O agente etiológico é a Ascaris lumbricoides seu reservatório é o homem e sua transmissão se dá pela ingestão dos ovos infectantes do parasita, procedentes do solo, água ou alimentos contaminados com fezes humanas. O período de incubação dos ovos férteis até o desenvolvimento da larva infectante (L3), no meio exterior e em condições favoráveis, é de aproximadamente 20 dias. O período pré-patente da infecção (desde a infecção com ovos embrionados até a presença de ovos nas fezes do hospedeiro) é de 60 a 75 dias.
A Ascaridíase pode causar complicações como obstrução intestinal, volvo, perfuração intestinal, colecistite, colelitíase, pancreatite aguda e abcesso hepático.
O quadro clínico apenas não a distingue de outras verminoses, havendo, portanto, necessidade de confirmação do achado de ovos nos exames parasitológicos de fezes. O tratamento se dá com ovicida, larvicida e vermicida.

Medidas de controle:
  • Medidas de educação em saúde;
  • Medidas de educação em saneamento básico;
  • Evitar as possíveis fontes de infecção;
  • Ingerir vegetais cozidos;
  • Lavar bem e desinfetar verduras cruas;
  • Manter um bom nível de higiene pessoal;
  • Ser rigoroso com relação à higiene na hora de manipular alimentos.
by Mari Martins
Fonte: Doenças Infecciosas e Parasitárias - Guia de Bolso - 8ª edição revista
Imagem by Google


Nenhum comentário: