segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Eternidade







Vens a mim 
pequeno como um deus, 
frágil como a terra, 
morto como o amor, 
falso como a luz, 
e eu recebo-te 
para a invenção da minha grandeza, 
para rodeio da minha esperança 
e pálpebras de astros nus. 

Nasceste agora mesmo. Vem comigo. 


Jorge de Sena, em "Perseguição"
Foto by Mari Martins




Nenhum comentário: