quarta-feira, 1 de junho de 2016

Pessoa, para os íntimos...




BOCAS ROXAS de vinho,
Testas brancas sob rosas,
Nus, brancos antebraços
Deixados sobre a mesa;

Tal seja, Lídia, o quadro
Em que  fiquemos, mudos,
Eternamente inscritos
Na consciência dos deuses.

Antes isto que a vida
Como os homens a vivem,
Cheia da negra poeira
Que erguem das estradas.

Só os deuses socorrem
Com seu exemplo aqueles
Que nada mais pretendem
Que ir no rio das coisas.


Poema by Fernando Pessoa - 1915
Foto by Mari Martins


Nenhum comentário: