terça-feira, 27 de agosto de 2013

Esteatose Hepática




ESTEATOSE HEPÁTICA


É a gordura acumulada no fígado. O órgão fica de coloração amarelada e aumentado de volume. O fígado está diretamente ligado ao metabolismo das gorduras. A esteatose hepática é uma alteração muito frequente. É a consequência de acúmulo de ácido graxo no interior dos hepatócitos (células do fígado). Pode aparecer em muitas doenças como hepatite alcoólica, hepatite C, desnutrição, doença celíaca, hipertensão, uso de drogas, etc. A esteatose é uma doença silenciosa, de difícil controle e tratamento. A prevalência mundial pode chegar até 40%. Em pacientes com obesidade mórbida, as prevalências são bem maiores. A esteatose pode ser classificada em dois tipos: primária e secundária. A primária está associada à síndrome metabólica, hipertensão arterial, obesidade e diabetes. A secundária ocorre em certas situações onde o paciente perde peso rapidamente (desnutrição, pós cirurgias bariátricas), uso de drogas, exposição a substâncias tóxicas. A doença pode evoluir para cronicidade e pode estar estadiada até a cirrose hepática. Muitos doentes nem têm sintomas da esteatose. Os exames laboratoriais podem mostrar aumento das enzimas hepáticas. A ultrassonografia é bem específica e sensível. A tomografia é método confiável, assim como a ressonância magnética e possui maior acurácia se comparada à ultrassonografia. O tratamento consiste em perda de peso, dieta equilibrada, exercícios físicos e administração de medicamentos. Nos casos de cirrose e insuficiência hepática pode ser necessário um transplante. 

Fonte: Revista Femme Care/Ano 01/Nº02/Ago/2011.



Coluna Saúde da Mulher - assinada pela Dra. Elaine K. Vasconcelos - Ginecologista, Obstetra e Mastologista - CRM: 101324.
Imagem by Mari Martins







Nenhum comentário: