quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Vida artificial



Pesquisa rea­lizada por uma equipe internacional de cientistas, na NYU Langone Medical Center, publicada na revista Science, introduziu um grande avanço na biologia sintética, ao inserir um cromossomo personalizado em levedura de cerveja. Estudos similares já foram realizados em bactérias e vírus, mas essa foi a primeira vez que se utilizaram células mais complexas – um terço da sequência genética da levedura é igual ao DNA humano –, criando um organismo vivo que transmite genes artificiais para seus descendentes. Para a ciência, o estudo significa a possibilidade de criar, futuramente, vida artificial.

Fonte: Revista Ser Médico nº 68



Nenhum comentário: