segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Assim o amor

Espantado meu olhar com teus cabelos
Espantado meu olhar com teus cavalos
Tardes que oscilam demoradas
E grandes praias fluidas avenidas
E um confuso rumor de obscuras vidas
Com seu fuso sua faca e seus novelos
E o tempo sentado no limiar dos campos
Em vão busquei eterna luz precisa
Poema by Sophia de Mello Breyner Andresen
Foto by Mari Martins

Nenhum comentário: