quarta-feira, 18 de julho de 2012

Ultrassom Transvaginal - O que é? Qual a sua finalidade?




ULTRASSOM TRANSVAGINAL

É um exame feito pelo ultrassom via vaginal. Tem como finalidade a avaliação dos órgãos da pelve, principalmente bexiga, útero e ovários. Como é feito transvaginal, também é capaz de analizar as paredes vaginais e o colo uterino. Já a ultrassonografia pélvica via abdominal é realizada no abdomem inferior. Não é conduta rotineira a realização da ultrassonografia pélvia via abdominal ou via transvaginal anual porque estes não são exames preventivos de câncer, mas sim exames complementares diagnósticos. Geralmente pedimos às pacientes virgens a ultrassonografia pélvica para avaliação de útero e ovários, principalmente os cistos de ovários, que são frequentes nas adolescentes. A ultrassonografia transvaginal é solicitada às pacientes não virgens. É realizada como rotina no primeiro trimestre da gestação e para investigação de patologias obstétricas como aborto ou ameaça de aborto, mola hidatiforme, etc e na investigação de patologias pélvicas em pacientes não grávidas. Solicitamos a estas com o propósito de investigar dores na região pélvica, irregularidades menstruais, etc. Nas pacientes abaixo de 40 anos frequentemente encontramos miomas, pólipos e cistos. Naquelas que estão entrando na menopausa solicitamos, geralmente, para avaliação do endométrio (camada interna do útero) quando as mesmas estão em reposição hormonal ou em tratamento de câncer de mama com tamoxifeno (quimioterápico oral). Ao contrário do que se imagina, os cânceres de ovários e endométrio não são precocemente diagnosticados com o ultrassom transvaginal de rotina. Quando o câncer de ovário já está avançado temos um volume ovariano aumentado devido ao tumor e aí sim podemos visualizar esse tumor pelo ultrassom. Já o Câncer endometrial tem como primeiro sinal o sangramento vaginal após a menopausa e o ultrassom, nessa ocasião, ainda pode aparecer normal. Não se pode esquecer que o diagnóstico de câncer só pode ser confirmado com biópsia, seja esta de fragmento ou exame citológico. O câncer cervical, como já foi dito, é precocemente diagnosticado pelo Papanicolaou e não pelo ultrassom. Portanto, o ultrassom transvaginal é um importante aliado do ginecologista para complementação diagnóstica, mas não adianta a paciente querer fazê-lo de rotina achando que vai estar se prevenindo de todos os cânceres ginecológicos, sem nem ao menos precisar de exame físico. Ainda é bom lembrar que o ultrassom transvaginal também não dá o diagnóstico final de endometriose, este, como também já foi dito em textos anteriores, é feito pela videolaparoscopia com biópsia.


Coluna Saúde da Mulher - assinada pela Dra. Elaine K. Vasconcelos - Ginecologista, Obstetra e Mastologista - CRM: 101324.
Imagem by Mari Martins



Nenhum comentário: